quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Análise: carnavalescos do grupo especial 2014

Vila Isabel 2013
VILA ISABEL  - Cid Carvalho
Ora, quem acompanha o Blog do Ray já deve saber minha opinião sobre o carnavalesco que contratado, pediu demissão alegando ter criado vergonha na cara, e depois sem explicações convincentes retornou à querida Vila Isabel, tudo por conta de problemas financeiros graves que a agremiação enfrenta. Seu trabalho este ano, ainda mais complicado com um carnaval que ainda não está pronto, mesmo faltando quatro dias para sua escola entrar na avenida, e ainda assim, acredita que vai brigar pelo título de campeão (deboche?). Desde que deixou a bem organizada Comissão de Carnaval da Beija-Flor de Nilópolis, ainda não mostrou seu trabalho de forma a ser reconhecido, não definiu seu estilo, sua arte, deixando escolas por onde passou em dificuldades. Vi surgirem de suas mãos trabalhos repletos de poluição visual, de um gosto duvidoso sem fim, e uma imaginação criativa, talvez, além de sua capacidade profissional.


BEIJA-FLOR DE NILÓPOLIS  - Comissão de Carnaval
Ainda se percebe fortemente a ausência de um grande carnavalesco na escola, a comparação de estilo e bom gosto com a saída de Alexandre Louzada em 2011, é facilmente detectada, mesmo com toda genialidade de Laíla, que, talvez, por tantas outras funções dentro da escola não consiga comandar tudo o que a Comissão deveria cumprir. Gosto de Fran-Sérgio e Bira, porém ainda não deixaram sua marca registrada. 

UNIDOS DA TIJUCA - Paulo Barros
Estilo, é bom que se diga, ao se analisar o genial carnavalesco. Acho de uma criatividade e bom gosto fora do comum, talvez, seja 100% reconhecido algum dia, mas isso leva tempo, mudar não é fácil. Eu gosto mesmo dessa mistura ao que se propõe o carnaval atual, gosto da tradição de um Império Serrano, do luxo de uma Beija-Flor, do Verde e Rosa de uma Mangueira, do esforço quase sobrenatural de quem vem do acesso, mas gosto muito de ver coisas novas, espetáculo que se confunde com samba e carnaval, produzido pela mente brilhante de Paulo, o carnavalesco. Melhorou muito de 2010 para cá, quando acertou criatividade com bom acabamento nas alegorias e fantasias, trazendo um pouco mais de luxo inclusive. 


IMPERATRIZ - Cahê Rodrigues
Vem se caracterizando nos últimos anos por um luxo visível em suas obras, e um bom gosto ímpar. Se destaca no quesito fantasias e no desenvolvimento de seus enredos. Vem crescendo espantosamente, como uma avalanche! 

SALGUEIRO - Renato Lage e Márcia Lage
O casal consegue unir cumplicidade profissional, bom gosto, talento, e um toque de elegância em seus trabalhos que é simplesmente extraordinário. Trabalhos grandiosos, alegorias gigantescas sem perder o bom gosto, é assim que me apresenta as obras de Renato e Márcia Lage, difícil, às vezes, para mentes pequenas compreenderem enredos tão grandes de proposta e conteúdo, talvez, por isso, em alguns momentos tenham sido penalizados. Destaque para Renato Lage que se manteve sempre impecável, vale lembrar o solo de Márcia no Império Serrano, nem tão bem sucedido.

GRANDE RIO - Fábio Ricardo
Aluno da escola de Max Lopes, o carnavalesco em pouco tempo conseguiu se destacar e criar um estilo próprio que merece respeito e admiração. Sua prova de fogo será na Grande Rio este ano, que promete um show de cores e criatividade, uma de suas características, e o volume gigantesco de seu carnaval o que não era possível na São Clemente (sua ex-agremiação) dada a condição financeira da escola. 

PORTELA - Alexandre Louzada
Talvez a falta de recursos financeiros na Mocidade (sua ex-escola) tenham inibido toda genialidade do carnavalesco, entretanto, quero registrar meu gosto pela arte de Louzada, que me encanta. Grande carnavalesco! 


MANGUEIRA  -  Rosa Magalhães
Não há muito o que se dizer da maior campeã da era Sambódromo. Rosa Magalhães tem um gosto ímpar, não se contamina, apenas faz sua proposta e pronto: o povo gosta. É claro que ninguém é unanimidade, mas desprezar o talento desta Rainha seria no mínimo abusivo à história do carnaval. Grande Mestre, não me canso nunca de vê-la brilhar, quer seja em carnavais ditos com alegorias pequenas, seja com gigantismo, é bom ver Rosa brilhando. Apenas um conselho: não pare nunca! 

UNIÃO DA ILHA - Alex de Souza
Um talento, ainda pouco reconhecido, vem se aperfeiçoando, destaque para suas alegorias e a forma maravilhosa com que desenvolve seus enredos. Mistura tradição e inovação com uma harmonia e talento sem comparação. Agora é claro que no carnaval dos milhões, pouca gente vai entender como é difícil fazer um desfile com poucos recursos, a Ilha não é rica, vale lembrar. 

SÃO CLEMENTE - Max Lopes
Me uno ao coro que Jorge Castanheiro (presidente da LIESA) iniciou, ao dizer que não consegue ver carnaval sem Max Lopes.  Que bom para a São Clemente, mas muito melhor para o mundo do samba ter Max Lopes de volta ao grupo especial. O "Mago das Cores" tem um poder incrível de manipular com muito bom gosto cores e efeitos em seus carnavais, alegorias de muito bom gosto, e luxo aliado a um estilo próprio, quase sempre barroco, insuperável. Digam tudo, mas não me digam que este gênio parou no tempo, o tempo não me parece ser uma pedra em seu sapato. Obrigado por me encantar Max Lopes!  


MOCIDADE - Paulo Menezes
Sinceramente, sem querer parecer crítico ao extremo, ainda não consegui encontrar exatamente o estilo do carnavalesco da Mocidade, talvez ainda esteja em construção. Considero ser um artista de médio porte em tudo que já produziu, entretanto, vem apresentando um crescimento notório nos últimos anos.

IMPÉRIO DA TIJUCA - Júnior Pernambucano
Como deve ser difícil chegar ao grupo especial trazendo sua escola de samba. Recém chegado ao carnaval carioca, desenvolve trabalhos carnavalescos da cidade de Três Rios. Há uma enorme desconfiança, confesso que de minha parte também quanto ao seu trabalho, e neste momento ainda me encontro sem tantos argumentos para analisar, contudo, o  apresentado até aqui pelo carnavalesco me aparece ser de bom gosto,  ou pelo menos de muito esforço, entretanto, é bom que se diga, há um abismo enorme entre desenvolver um desfile de grupo de acesso e grupo especial. Sigo com na expectativa  de que  volte aqui para dizer: que bom ser surpreendido por Júnior Pernambucano!

Em tempo, registro que não tenho problema algum em voltar aqui para dizer o quanto fui surpreendido, positiva ou negativamente, após as doze escolas do grupo especial passarem pela Sapucaí conduzidas pela mente destes profissionais, ora analisados neste blog. Bom espetáculo a todos, e um desfile memorável!

Um comentário:

  1. Adoro suas postagens e suas análises. Parabéns sou seu leitor assíduo.

    ResponderExcluir