quarta-feira, 29 de junho de 2011

SINOPSE DA MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL

Justificativa

Ao escolher Candido Portinari como tema, a Mocidade Independente vem celebrar um dos maiores nomes da pintura brasileira no cinquentenário de seu desaparecimento.

Através de suas mais importantes obras, mostraremos a trajetória este artista que acima de tudo retratou em seus quadros e murais, a história, o povo e a vida dos brasileiros, através dos traços fortes e vigorosos carregados de dramaticidade e expressão.

Esta homenagem escrita em forma de poema é a maneira mais digna encontrada para festejar este mestre que além de pintar também foi poeta e que entre outras manifestações artísticas soube tão bem ilustrar com seus desenhos os poemas de Carlos Drummond de Andrade, seu grande amigo e parceiro na versão do livro “Dom Quixote de La Mancha”, de Miguel de Cervantes.

Por fim é a Mocidade Independente que se orgulha em levar para o desfile um pouco da obra imortal de Portinari ao conhecimento do grande povo, aquele que sempre foi a sua grande fonte de inspiração.

Num voo mágico, viaja o samba,
a conduzir meu povo feliz
em seu viajante sonho.

Solto no universo garboso, prosa em verso,
na fantasia a se tornar realidade,
leva os tambores da felicidade,
para despertar o artista na morada celestial.

Ó mestre, ergueis do sono esse quadro vazio.
Sua obra vive no cantar de nossa gente.

Põe nas tuas mãos o teu instrumento,
tua tela hoje é o firmamento,
que a arte se deixa tingir o breu da noite,
com um colorido de festa,
a aquarela do carnaval.

Vai, reinventa mais um lúdico céu.
Pinta por nós a nossa estrela,
tu que pintaste tanto a Mocidade,
deixa a tua mão deslizar Independente.

Hoje, somos as tintas que envolvem
as cerdas do teu pincel, e que,
na mistura das cores, por ti, Portinari,
rompem a tela para a realidade
e brilham no samba de Padre Miguel.

Hoje, uma moldura viva e humana
enquadra a tua história na pista,
e teu traço se refaz nos pés,
no passo do sambista,
que vai riscar murais de sonhos
e estampar retratos,
cena dos Brasis que tu desenhastes.

À luz da inspiração, vem fazer reluzir em nossa mente
a cândida infância de tua Brodowski querida,
e reflorescer os campos com suor da lida,
dos mestiços viris a lavrar a ampla terra.

“Entre o cafezal e o sonho”,
vem reunir retalhos e as lembranças coloridas,
como as dos espantalhos a oscilar na brisa,
serenos sobre as plantações.

Hoje, é um tempo que não passa.
Um turbilhão, um vento que sopra,
que varre e traz recordações,
e que vem devolver a ti a meninice.

Somos nós os teus meninos,
sem rosto, anônimos na multidão,
que fazem girar o teu mundo
num rodopio frenético,
como se fossem um pião,
tal como um caleidoscópio
a transmutar em formas a tua imaginação.

Somos a quimera límpida,
que balança livre num céu pontilhado,
às vezes, de pequenas pipas e balões.

Viemos abrir o teu coração
e revelar esse tal sentimento,
que subjugou a estética,
ao adulterar a técnica pela arte livre,
carregada de emoção.

Nessa força da cor que se imprime,
se diluem teus nativos,
descobridores, heróis desbravadores,
fauna e flora a percorrer paredes
como ciclos, desvendando a história,
o caminhar dessa nação.
Nesta hora, trazemos a alegria
pintada em nossas caras.

O suor que transpira
sob as luzes deste palco
é a nossa emoção que transborda,
ainda que exale de nós
a têmpera do mesmo povo sofrido,
do caminhar errante,
em busca da terra prometida, a vitória.

Imagina nós, os retirantes,
embora a esconder a face dura da vida,
como tão pungente retrataste,
dando o tom da cor às palavras
de “Guimarães” e “Graciliano”,
a cor da dor, escassa,
como a secura da terra do cangaço,
por vez, na força do traço,
a bravura sertaneja.

A nossa odisséia e a nossa missão
é cantar-te, nosso estandarte, a glória,
como quem procura buscar nas alturas a prova.

Somos cenas bíblicas,
tal qual as que interpretastes,
nos vemos Santos,
Anjos olhados por Deus,
a voar nos céus azulejados.

Viemos aqui à luta,
contra o inimigo invisível,
os moinhos de vento
de uma aventura inventada.

À sorte, nos imaginamos fortes,
como o arauto sonhador
a rabiscar no papel uma estrada escrita
num poema de “Drummond”.

Somos “Dom Quixote De La Mancha”,
a empunhar a lança feita de lápis de cor.

Enfim, somos todos iguais esta noite,
como aqueles tantos que tua mão desenhou.

Somos o samba, o morro,
a favela, a dança, a música,
o contraste social,
trabalhadores do sonho,
assim como os da vida real.

Vamos à luta,
temos as caras das tuas caras,
o autorretrato da tua alma.
Somos todos em um,
a tua lembrança viva,
a eterna Mocidade,
modernista, revolucionária e guerreira
que, aqui neste momento,
ergue a ti um monumento,
um imenso mural,
pintado com a nossa alegria,
na batalha feliz deste dia,
“Guerra e Paz” do carnaval.



Alexandre Louzada

Carnavalesco





DEFINIDO ENREDO DA MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL

Alexandre Louzada

"Por ti, Portinari, rompendo a tela, a realidade" é o título do tão esperado enredo da Mocidade Independente de Padre Miguel para o Carnaval 2012. De autoria do carnavalesco Alexandre Louzada campeão do carnaval 2011, o enredo é sobre o pintor Portinari. Nesta quarta-feira, a escola entrega a sinopse do seu enredo e apresenta a logomarca.

Vamos aguardar a sinopse para começar a sentir o gostinho das maravilhas de Portinari e mais uma vez o talento de Alexandre Louzada.

Axé!



RAYMONDH JÚNIOR
twitter - raymondhjunior

UNIDOS DA TIJUCA JÁ TEM TÍTULO PARA ENREDO 2012... SERÁ?


Paulo Barros


Pessoas ligadas ao surpreendente carnavalesco Paulo Barros garantem que  há um clima de muita animação e entusiasmo na escola do Borel, por conta do enredo sobre a vida de Luiz Gonzaga, e que o enredo já tem até título: "O dia em que toda a realeza desembarcou na Avenida para coroar o Rei Luiz do Sertão". O provável título do enredo circulou ontem na página do próprio carnavalesco no fecebook.

Esse tal Paulo Barros quer nos surpreender até a última hora, ele tem o estranho poder de nos levar ao mundo fantástico de suas construções mágicas e inovadoras, e para falar a verdade eu acho pouco provável que ele já tenha divulgado o título para o enredo, senão para o presidente da agremiação, afnal esse clima de suspense faz parte do marketing de seu trabalho e do seu estilo de fazer carnaval.

Título de enredo à parte, o fato é que a Unidos da Tijuca vem para brindar a todos nós com uma justa, caríssima, fantástica  e brasileiríssima homenagem ao Rei do Sertão, o Luiz de todos nós, Gonzaga para o mundo.

Ai, ai, que bom será vê Paulo Barros tocar num tema como esse, vai calar a boca de muita gente por aí... Afinal de contas tem gente que fala muito e trabalho pouco!

Axé!



RAYMONDH JÚNIOR
twitter - raymondhjunior

domingo, 26 de junho de 2011

DEFINIDO ENREDO DA SÃO CLEMENTE

Foto: Reprodução de Internet
São Clemente
A São Clemente definiu o seu enredo para 2012: "Uma aventura musical na Sapucaí"

A escola vai mostrar musicais que fizeram sucesso no Brasil, como "Sassaricando" e "Ópera do Malandro".

O carnavalesco Fábio Ricardo segue pelo segundo ano consecutivo como carnavalesco da escola da Zona Sul, que pretende fazer um desfile bem mais emocionante e de força da sua comunidade. Recentemente o presidente da agremiação anunciou que a São Clemente vai doar todas as suas fantasias para a comunidade, será mais uma escola 100% comunidade.

Axé!


RAYMONDH JÚNIOR
twitter - raymondhjunior

quinta-feira, 23 de junho de 2011

SEI LÁ MANGUEIRA

Por Claudio Russo, colunista do site SRZD.

Mangueira

Em Mangueira a poesia fez-se um mar se alastrou... E foi buscar do outro lado do tenebroso oceano, Avenida Atlântico, via forçada de nossos ancestrais, as raízes de nossa música, nossa cultura africana, que é Bambara e é Haussá, mas também é Nagô e Jeje, é Brasil em cada veia, parafraseando a luz de Luiz Carlos, e é Oxalá, se tornou Tupã quando quebrando as correntes cruzou os sertões, qual bicho do mato se embrenhou e criou a utopia quilombola, Salve Zumbi, Palmares vive, Viva Mangueira, Estação Primeira dessa negritude.

Vou festejar na tribuna popular do carnaval o reencontro do samba com seus alicerces e a beleza que ressoa do encontro de duas instituições sedimentadas na luta de resistência. Muito mais que um tema, Sou Cacique, Sou Mangueira! Resgata um histórico tão nosso, tão intimamente ligado à Batucada dos nossos tantãs... E mesmo assim tão depreciado em virtude de escolhas menos carnavalescas, a história de nossa festa maior está em desfile.

Será que a primeira yakekerê do terreiro de João Alaba, filha de Oxum, um dia imaginou a proporção que tomou a pequena África, quem mandou cutucarem a onça com vara curta. E por falar em onça, aquela do Bafo famoso e um tanto sumida, deve está morrendo de vontade de travar mais uma batalha de confetes com a tribo rival, olha meu amor esqueça a dor da vida...

Podemos sorrir nada mais nos impede, posto que a sombra desta tamarineira se eleva à eternidade de um desfile em verde rosa, lógica fácil de entende, isso é Mangueira, semente viva pelo reconhecimento de nossa cultura. Okê Arô Odé sei que esse Cacique é protegido, é melhor se segurar, pois, a sua história se confunde com a trilha sonora recente desta cidade. E por mais claudicante que possa parecer o samba, em alguns momentos, negligência não se for apanhar meu violão, isso é Ginga, coisa de pele, é cintura de mola na malemolência carioca.
Sinopse linda, poética na medida certa, coisa de gente grande, um primor, viga mestre de um projeto que já nasce com o dom de brilhar, sem palavras. Sei Lá Mangueira, Sei Lá... Não sei não...

A RESISTÊNCIA DO SAMBA E O CORDEL SALGUEIRENSE

Por Cláudio Russo, colunista do site SRZD.


Salgueiro

Foto: Reprodução de Internet
Fernando Pamplona

Era o ano de 1959 e um grande encontro antecipava o começo da reação do samba como manifestação popular em detrimento aos temas nada culturais, porém populistas que marcaram as primeiras décadas de desfiles das escolas de samba na cidade do Rio de Janeiro, ao retornar as suas raízes e contar a história daqueles que enfrentaram a opressão, retrato dos menos favorecidos, a classe oprimida. O artista plástico Fernando Pamplona, depois do Carnaval, foi convidado pelo presidente Nélson de Andrade para elaborar o enredo dos Acadêmicos do Salgueiro para 1960, por ter surgido uma admiração mútua. Pamplona, ao julgar os quesitos escultura e riqueza, deu nota máxima ao Salgueiro, nota maior que a alcançada pela campeã do ano, a Portela. E ficou maravilhado com o desfile dos brancos encarnados do bairro Tijuca. Nelson ficou ainda mais satisfeito com a resposta positiva de Fernando, que veio acompanhada da sugestão de homenagear uma figura da história do Brasil tão importante quanto esquecida.
O grande líder de Palmares provocou uma mudança na galeria dos enredos em louvor a figuras de nossa história, esse quilombo tem magia... Sergio Cabral salienta na obra "As Escola de Samba do Rio de Janeiro" que o Salgueiro em 1955 já havia fugido dos padrões comuns ao Carnaval, quando homenageou o prefeito Pedro Ernesto, que era considerado pelo regime da época como subversivo. Pois bem, esse Salgueiro de vanguarda e de abordagem crítica, Salgueiro de resistência cultural ao trazer acadêmicos para seus quadros e recuperar passagens históricas esquecidas dos livros didáticos, é a mesma Academia que há alguns anos retoma o seu destino e nos brinda com enredos dignos de suas origens.
Foto: DivulgaçãoE por falar em origens, o cordel, fiel errante da literatura popular, é mais um exemplo da resistência da manifestação da gente mais humilde, seus causos e seus heróis ganham a eternidade das letras desde a França dos doze pares até nossos dias, passando por personagens qual Pedro Malazarte, lendas como a do Pavão misterioso e as andanças de Lampião e seu bando pelo sertão. Sobram motivos, faltam adjetivos para se emocionar com o prenuncio de um casamento perfeito quando a cultura do cordel cair no samba do Salgueiro.
Confesso que não sou nenhum admirador de sinopses versadas, posto que leva muitos ao velho copiou/colou de frases feitas em seus sambas, como também impede um pouco a criação ou a procura de versos e rimas pertinentes ao enredo, mas posso dizer que esta vem por demais fazer jus ao cordel, é simples, poética, leve e inteligente, sem nada demais ou algo de menos.
Neste processo de reencontro da escola com a sua essência, deve se salientar o papel de destaque de dois setores que parecem trabalhar em perene comunhão: o departamento cultural que sem esquecer a modernidade, além do seu tempo, que a escola carrega há muito, procura soluções de enredos peculiares, atuais e que aliam conteúdo com o gosto popular; e o gênio da dupla de carnavalescos Renato e Márcia Lage, artistas na acepção da palavra. Confesso que poderia fazer vários textos em relação aos enredos e as inovações que os dois já apresentaram ao grande público carnavalesco, acho que tudo que for falado a respeito é muito pouco em virtude de tamanho talento.
fÉ oportuno também entender que, desde 2007 com Candaces, a escola vem esforçando-se muito para fazer a desmistificação da síndrome do "explode coração na maior felicidade..." que consumiu anos e anos da poesia salgueirense. Esperamos muito a publicação deste Cordel Branco e Encarnado no Carnaval de 2012, que com a devida licença poética poderia chamar-se: A LUTA DE RESISTÊNCIA ALVO VERMELHA CONTRA O MONSTRO ENCARDIDO DA ANTICULTURA. Parabéns a toda escola pelo momento mágico e as possibilidades que se apresentam em trovas e versos.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

RECORDE DE SAMBA NA MANGUEIRA PARA 2012

Mangueira 2012

A Estação Primeira de Mangueira vive mesmo um de seus melhores momentos dos últimos anos em se falando de confiança e certeza de que vamos para a Sapucaí com um grande desfile, a prova disso é o recorde absoluto de sambas enredos inscritos para a disputa na Mangueira, até o último dia de inscrição a escola pretender receber cerca de 190 obras, que serão selecionadas e irão para a disputa, que este ano terá uma novidade, aos sábados (começando dia 02 de julho) no Palácio do Samba às 22h, e aos domingos no Cacique de Ramos às 14h. Isso fará com que a disputa do samba fique bem pertinho do homenageado, o bloco carnavalesco Cacique de Ramos, um dos mais tradicionais da cidade do Rio.

A direção da Mangueira está confiante com a qualidade dos sambas, e animada com o recorde, o que significa que de fato, para os compositores o tema já "pegou na veia". Uma escola tão popular, hoje numa comunidade pacificada pelo Estado, promete uma grande disputa de samba e pelo título, enfim. E como diria um saudoso mestre: "Olha a Mangueira aí gente!"



RAYMONDH JÚNIOR
twitter - raymondhjunior

terça-feira, 21 de junho de 2011

LUIZ GONZAGA É O ENREDO DA UNIDOS DA TIJUCA EM 2012

Unidos da Tijuca

O presidente Fernando Horta informou com exclusividade ao site Carnavalesco que o tema da Unidos da Tijuca já está definido: Luiz Gonzaga. O tema será desenvolvido pelo carnavalesco Paulo Barros que brilhará mais uma vez à frente da escola do Borel com sua genialidade e dessa vez brasilidade num tema completamente nacionalista e brasileiro até a alma, o título do enredo será divulgado em breve. Acusado diversas vezes por alguns setores do mundo do samba de produzir enredos hollywoodianos e de interesse internacional valorizando o cinema extrangeiro, dessa vez promete (ou melhor, mais uma vez!) inovar num tema que vai abordar o nordeste brasileiro, a força da música desse gênio maestral chamado  Luiz Gonzaga.

Eu já imagino a Unidos da Tijuca cantando toda a força desse homem extraordinário para a cultura do país, com alegorias faraônicas de muito efeito especial, sem perder a simplicidade do nordeste do Brasil, e alas completamente inovadoras, contemporâneas e tradicionais ao mesmo tempo. Um misto de inovação e tradição que será falar  de um tema tão popular e tradicional numa escola que implantou no carnaval carioca um novo jeito de ser fazer carnaval. A Unidos da Tijuca revolucionou o mundo do samba, e hoje está bem difícil encontrar alguém que não suspire fundo e aplauda o belo trabalho desse mestre revolucionário chamado Paulo Barros.

Este blogueiro se senti muito feliz com o que promete ser o próximo carnaval do Rio, imaginem uma Mangueira com os 50 anos do Cacique de Ramos, a Beija Flor desbravando o Maranhão, a literatura de cordel do Salgueiro, a Angola de Vila Isabel, Romero Britto da Renascer, Jorge Amado da Imperatriz Leopoldinense e tudo indica um Portinari  vindo aí pelas mãos da Mocidade Independente de Padre Miguel. Enfim, 2012 promete!

Axé, axé e muito axé!

RAYMONDH JÚNIOR
twitter - raymondhjunior
contato - raymondhjr@hotmail.com

LOGOMARCA DO ENREDO DO IMPÉRIO SERRANO 2012

Império Serrano 2012

O Império Serrano divulgou sua logomarca para o enredo de 2012 que terá como titulo: "Dona Ivone Lara: O enredo do meu samba", a escola da Serrinha vai prestar uma justa e brilhante homenagem à Dama do Samba que iniciou sua trajetória no Império, sua escola de coração.

Dona Ivone Lara já teve seu primeiro encontro com o carnavalesco Mauro Quintaes e sugeriu algumas dicas que, segundo ela, não podem faltar em sua história na Sapucaí. O desfile promete emocionar os amantes do samba e do carnaval, o Império Serrano tem uma grande oportunidade para fazer um grande desfile cheio de emoção, garra e muita história boa que a a vida dessa mulher ímpar tem para mostrar e nos ensinar.

Axé!


RAYMONDH JÚNIOR
twitter - raymondhjunior

SINOPSE DA GRANDE RIO 2012

Grande Rio

O Acadêmicos do Grande Rio entregou aos seus compositores a sinopse do seu enredo para o carnaval 2012, que terá o tema: "Eu acredito em você. E você?". A tricolor de Caxias vai levar para a avenida exemplos de superação da humanidade, o carnaval será assinado pelo carnavalesco Cahê Rodrigues que segue pelo terceiro ano consecutivo na escola. Vale sempre lembrar que a escola foi uma das três atingidas pelo incêndio na Cidade do Samba esse ano, e já mostrou em seu desfile muito exemplo de superação, garra, coragem e amor pelo pavilhão tricolor. 



SINOPSE

''A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim, em levantarmo-nos depois de cada queda.'' (Confúcio).

Não me peça para desistir. Acredito, sigo em frente porque só sei caminhar! Não me desanimo: caio, levanto, a volta por cima hei de dar. A força não está em mim: Para quem do céu herdou a promessa, a vitória é coisa certa; a questão é esperar. Por entre nuvens os anjos se puseram a anunciar: ''não te desespera'', não deixa o desânimo tomar conta de ti, tira os olhos das dificuldades e coloca-os em mim.

Com a palavra, o céu desce a terra. Das alturas, rica fonte de entusiasmo: a direita do pai, a me guiar, aquele que ao enfrentar o adverso, foi grato exemplo da importância de aprender a superar. Com os olhos fitos nos céus, sinto o calor luminoso que rompe a barreira das nuvens que outrora foram de tempestade. Me banho junto às águas de bonança que seguem após a revolta das marés. Me conforto, ganho ânimo, e um novo carnaval assim eu faço: tudo o que renasce com maestria, todo aquele que enfrenta e vence o que lhe desafia, faz crescer o que imagino, para construir um carnaval.

Na perda do amor que se foi, faço hora para o que virá. Se a saúde fizer despedida, espero ela voltar. Não há medo, vício, ou preconceito, que eu não possa enfrentar. Enfrento a perda e a dor, venço o medo com sabedoria, rimo a piada com o que não tem graça, lhe conto um conto, de sabedoria popular: Não tema o que lhe parece ''maior'', não te desespere diante ao que lhe parece impossível. Precisamos, dia-dia, enfrentar e derrubar nossos temidos gigantes!

Por isso vos digo como exemplo a lhe ofertar: Se o som for sepultado em meus ouvidos, faço melodia e canção no silêncio que habita a imaginação. Se na escuridão meus olhos me lançarem, solto a voz para a multidões, faço do canto, luz para iluminar.

Quando a dor me castigar, faço dela o incentivo para o entalhe mais perfeito da beleza de um altar. Se pobre eu nascer, se a vida me bater, se a dor me esmagar; abro sorriso ao adverso, luto de peito aberto, para as luzes da ribalta me consagarar! Se a vida me testar, tirar-me o que julgo precisar, se a firmeza das mãos me faltar, o dom de Deus resplandecerá e uma orquestra surgirá.

Na busca por superar, topo aceitar o desafio: Vou suar a camisa, correr distancias longas, meu corpo está posto a prova; certamente, eu chego lá! Quero um lugar no pódio, quero os louros da vitória, quero mérito por superar. Cambaleei, enverguei, não desisti, e exemplo me tornei!

Na luta pela conquista, sou herói, sou atleta! Recebo sopro divino, corro em linha reta, corro atrás de bola, um fenômeno surgirá. Alço as velas do meu barco e lavo minhas dores nas águas do azul que tinge o mar. Em águas cristalinas nado com a força de um tubarão, faço o mundo avançar em braçadas. Saltando próximo as nuvens, com os pés no chão, ou sobre rodas, o que me guia é a superação!

Na história do homem sobre a terra, exemplos ei de dar: Quando um homem ajuda um homem, não há dor coletiva que ele não possa se curar. Avança o dia, avança a noite. Corre o tempo, a tristeza fica pra trás. O que se expandiu junto a uma manhã que explodiu, hoje é a pagina virada, ''rosa desbotada'', que ninguém mais viu.

O que se destruiu, se reconstruiu. Onde o ''preto'' não era ''branco'', onde o ''branco'' não era ''preto'', levantou-se a voz da nova ordem a anunciar a união. Dando a mão a um irmão, tijolo por tijolo, lágrima por lágrima, erguemos um bem precioso, reconstruímos uma Nação.

O vento sopra a bandeira verde e amarela e faz o exemplo de seus filhos brilharem em nossos olhos.

São ''Joãos'', ''Marias'', ''Silvas'', ''moleques'' que correm descalços, trabalhadores do asfalto, gente que luta, gente que vence. São mulheres que rompem as barreiras das limitações. São homens que vencem a ''seca'' e o ''pau de arara'', para ocupar, quem sabe, o mais alto posto no comando da Nação. Jovens que ultrapassam os barracos da cidade. Mães que fazem da luta prova de superação. Homens e mulheres que levantam a poeira do chão, guerreiros que batem samba na palma da mão; a baiana que gira, o sorriso da velha-guarda, o passista que risca o chão, a bateria quer marca o pulsar do coração, ''gente que enverga mas não quebra'', gente que vem a ser o siginificado mais claro e puro para o nome SUPERAÇÃO!

Cahê Rodrigues - Carnavalesco
Pesquisa e texto: Leandro Vieira, Lucas Pinto e Cahê Rodrigues

domingo, 19 de junho de 2011

UM CLICK INESQUECÍVEL - CARNAVAL DE 2008

Vila Isabel no enredo, Trabalhadores do Brasil
Carnavalesco Alex de Souza, 9º lugar.
Vila Isabel 2008
Salgueiro no enredo, O Rio de Janeiro Continua Sendo...
Carnavalescos Renato Lage e Márcia Lávia, 2º lugar.
Salgueiro 2008
Mocidade Independente de Padre Miguel no enredo, O Quinto Império: De Portugal ao Brasil, uma Utopia na História
Carnavalesco Cid Carvalho, 8º lugar.
Mocidade Independente de Padre Miguel 2008
Viradouro no enredo, É De Arrepiar!
Carnalvaesco Paulo Barros, 7º lugar.
Viradouro 2008
Estação Primeira de Mangueira no enredo, 100 Anos do Frevo é de Perder o Sapato. Recife Mandou me Chamar
Carnavalesco Max Lopes, 10º lugar.
Mangueira 2008
Unidos da Tijuca no enredo, Vou Juntando o que Eu Quiser, Minha mania vale Ouro. Sou Tijuca, trago a Arte Colecionando Meu Tesouro
Carnavalesco Luiz Carlos Bruno, 5º lugar.
Unidos da Tijuca 2008
Portela no enredo, Reconstruindo a natureza, recriando a vida: o Sonho Vira Realidade
Carnavalesco Cahê Rodrigues, 4º lugar.
Portela 2008
São Clemente no enredo, O Clemente João VI no Brasil: A Redescoberta do Brasil...
Carnavalescos Mílton Cunha, Fábio Santos e Mauro Quintaes, 12º lugar.
São Clemente 2008
Porto da Pedra no enredo, 100 Anos de Imigração Japonesa - Tem Pagode no Maru
Carnavalesco Mário Borriello, 11º lugar.
Porto da Pedra 2008

Imperatriz Leopoldinense no enredo, João e Marias
Carnavalesca Rosa Magalhães, 6º lugar.
Imperatriz 2008
Beija Flor de Nilópolis no enredo, Macapaba: Equinócio Solar, Viagens Fantásticas ao Meio do Mundo
Carnavalescos Comissão de Carnaval, Campeã do Carnaval.
Beija Flor 2008
Grande Rio no enredo, Do Verde de Coari Vem Meu Gás, Sapucaí!
Carnavalesco Roberto Szaniecki, 3º lugar.
Grande Rio 2008

* fotos gentilmente cedidas do site da Rádio FM O DIA.

sábado, 18 de junho de 2011

FHC, 80 ANOS

Fernando Henrique Cardoso

Nos 80 anos de vida do ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, o BLOG DO RAY faz uma justa homenagem, ao homem que deu um rumo ao país, controlou a inflação, estabilizou a moeda com a criação do Plano Real e dinamizou o processo de mudança que tanto precisávamos. FHC foi o único presidente eleito e reeleito em primeiro turno no Brasil. Um homem a frente do seu tempo, já foi considerado o Príncipe da Sociologia antes de ser presidente, perseguido pelo regime militar, foi exilado, mas voltou ao Brasil para defender o direito a liberdade e democracia, hoje se dedica a pensar mais e escrever, defende a discriminalização de drogas leves, e está sempre antenado aos problemas do país, sem perder a referência de quem é o Presidente de Honra do PSDB (seu partido), e Ex-Presidente da República.
Regina Casé e FHC no programa Esquenta da Tv Globo

Fernando Henrique Cardoso e o intérprete Jamelão da Mangueira

Fernando Henrique Cardoso


Depoimento de DILMA ROUSSEFF, presidente da República

"Em seus 80 anos há muitas características do Senhor Presidente Fernando Henrique Cardoso a homenagear. O acadêmico inovador, político habilidoso, o ministro-arquiteto de um plano duradouro de saída da hiperinflação e o presidente que contribuiu decisivamente para a consolidação da estabilidade econômica.

Mas queo aqui destacar também o democrata. O espírito do jovem que lutou pelos seus ideais, que perduram até os dias de hoje.

Esse espírito, no homem público, traduziu-se na crença do diálogo como força motriz da política e foi essencial para a consolidação da democracia brasileira em seus oito anos de mandato.

Fernando Henrique foi o primeiro presidente eleito desde Juscelino Kubitschek a dar posse a um sucessor oposicionista igualmente eleito.

Não escondo que nos últimos anos tivemos e mantemos opiniões diferentes, mas, justamente por isso, maior é minha admiração por sua abertura ao confronto franco e respeitoso de ideais.

Querido presidente, meus parabéns e um afetuoso abraço!"



Depoimento de Aécio Neves, senador PSDB-MG

"Poucos homens públicos, no seu tempo, deram uma contribuição tão relevante às transformações que vêm ocorrendo no Brasil como Fernando Henrique. Ele foi o presidente da mudança, o presidente do rompimento com o arcaico, o presidente da ousadia: com o Plano Real, a Lei de Responsabilidade Fiscal, com as privatizações.

Portanto, nós, nesses seus  80 anos, homenageamos por um lado, o grande líder político, mas por outro, também, o sociólogo, o grande pensador da contemporaneidade, talvez o mais moderno do nosso tempo.

E, além disso, abraçamos o amigo querido, afetuoso, sempre disposto a ouvir e participar de uma boa conversa. Isso faz de Fernando Henrique , nessas três qualidades, o líder político, o sociólogo moderno e do amigo incomum, uma figura diferente. E Deus queira, que ele possa continuar por muitos e muitos anos sendo o condutor do projeto da social democracia brasileira." 



Depoimento de José Serra, ex-governador PSDB-SP

"Ele foi a condição necessária para que o Brasil obtivesse duas conquistas históricas: o fim da superinflação de 15 anos e a implantação da rede proteção social.

Devemos também a Fernando Henrique o exemplo de homem público digno, democrata convicto, defensor da liberdade e do respeito aos adversários. Fernando Henrique é uma experiência de civilidade. E sou muito grato por nossa amizade."


Depoimento de José Gregori, amigo presente

"Não há dúvida que, se Fernando Henrique não fez sozinho o Brasil potente de nossos dias, foi uma das figuras chaves para conquista-lo.

Por isso parece-me que Fernando Henrique tem direito a que saudemos os seus  80 anos.

Bater essa marca sem arrependimentos ou frustrações tendo comandado um Brasil fervendo de anseios e o entregou mais democrático do que o recebeu, permite-lhe olhar tudo que fez nessas oito décadas e dizer camonianamente: mais vidas eu tivesse ainda mais coisas  faria.

Fernando Henrique: Parabéns!



Depoimento de Luciano Huck, apresentador da TV Globo 

"Fernando Henrique Cardoso 80 anos. Corpinho de 50, cabeça de 30. Incrível!

Acho que ele sempre orbitou na minha vida, desde criança os meus pais acho que sempre votaram nele e acho que a minha profissão me deu o privilégio de poder chegar mais perto dele depois que eu cresci um pouco.

E eu fico muito impressionado, todas as vezes que agente senta pra conversar, a capacidade de falar de qualquer assunto, as opiniões claras, didáticas e agora aos 80 anos, quando todo mundo acha que ele vai pra casa cuidar dos bisnetos, como ele mesmo diz, ele se lança em novos debates propondo novos ideais tentando discutir coisas importantes para o mundo inteiro.

Então eu sou profundo admirador e fã de carteirinha."




Depoimento de Marina Silva, ex-senador PV-AC

"...também não poderia deixar de resgistrar aqui o quanto foi importante a sua ajuda para que pudéssemos tirar o Acre do julgo em que vivíamos do tráfico de drogas, da violência, e o senhor e a Doutora Ruth, sendo sendo  na época, eu e o Jorge de um partido de oposição, o senhor nos ajudou ali a botar o Acre num novo caminho, ou pelo menos em uma nova maneira de caminhar.

E eu não poderia deixar de registrar o quanto foi importante o seu apoio para que criássemos a primeira linha de crédito para os extrativistas da Amazônia, graças a sua ajuda, essa proposta foi aprovada e encaminhada dentro do executivo.

Então, feliz aniversário e mais uma vez, parabéns!"  




Depoimento de Roberto Carlos, O Rei, cantor

"É um orgulho e um privilégio para nosso país ter um brasileiro brilhante como Fernando Henrique Cardoso.

Amigo Fernando Henrique, parabéns pelo seu aniversário. Um grande abraço. Te desejo tudo de bom e que Deus te abençoe sempre."






Todos os depoimentos foram extraídos do site http://www.fhc80anos.com.br, veja outros depoimentos e os vídeos na íntegra.



"Ao Presidente Fernando Henrique Cardoso, muito obrigado e parabéns! Vida Longa e Inteligente!
RAYMONDH JÚNIOR
twitter - raymondhjunior








110 ANOS DE PAULO DA PORTELA

Por Luis Carlos Magalhães, colunista do site Carnavalesco


Bandeira da Portela
Paulo nasceu com o outro século.
Faz 110 anos...
Ali, com Pereira Passos e seu projeto urbano de uma “Europa possível”, o Rio marcava seu futuro de “cidade partida” que hoje tanto nos assusta.
Nascido antes do samba, Paulo cresceu na África Pequena sem nem mesmo saber que mais tarde, naquela mesma Praça, seria ele o próprio samba; naquela mesma Praça Onze tão perto.
E a cidade se partia. Os negros subiam os morros; formavam favelas ou iam para bem longe, primeiros os bondes... depois com os trens...
Paulo foi parar em Oswaldo Cruz, bem perto de Madureira (parece até que estava escrito).
Lá encontrou Caetano e Rufino e fez a Portela.
Da Portela fez o carnaval da Praça Onze.
Da Praça Onze foi rei um dia. Da Portela foi rei sempre!
Deitou e rolou. E fez levantar poeira!
De pés e pescoço ocupados, inventou isto tudo que está aí.
Dos bambas... foi o maior de todos.
De todos... o que morreu mais triste...
(só) Quem sabe, sabe o quanto doeu.
Mas, não tem nada! É vida que segue.
Agora, estamos aqui 110 anos depois.
Te reverenciando.
Tentando mostrar a todos, aos filhos, aos jovens, um pouco de você “sem perguntar à caixa surda e nem pedir cola à cuíca”.
Tá fazendo 110 anos.
Vai levantar poeira!
Valeu Mesmo, Paulo!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

RENASCER DE JACAREPAGUÁ DIVULGA SUA LOGOMARCA

Foto: Divulgação
Renascer de Jacarepaguá 2012

A Renascer de Jacarepaguá, que vai falar sobre a história de vida e a arte do pintor Romero Britto divulgou a logo do enredo para o próximo carnaval, na tarde desta quinta-feira.

O artista plástico estará presente, mais uma vez, na quadra da escola no dia 11 de julho.

A agremiação vai levar para a avenida o enredo "O artista da alegria dá o tom da folia".

LIESA DEFINE OS PARES PARA O SORTEIO DO DESFILE 2012

A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, definiu os pares para o sorteio dos desfiles das agremiações do Grupo Especial para o próximo Carnaval.

O sorteio está marcado para o dia 6 de julho, na Cidade do Samba, em um evento somente para convidados.

É importante ressaltar que as escolas que formam os pares não poderão desfilar no mesmo dia.

Confira a formação dos pares de escolas:


Beija-Flor de Nilópolis / Unidos da Tijuca

Mangueira / Portela

Imperatriz Leopoldinense / União da Ilha do Governador

Mocidade Independente de Padre Miguel / Grande Rio

Salgueiro / Vila Isabel

Vale lembrar, também, que a Renascer vai abrir o desfile do domingo de Carnaval, já que foi campeã do Acesso A em 2011; a São Clemente vai abrir o desfile de segunda-feira, por ter sido a última colocada em 2011; e a Porto da Pedra, que também vai desfilar domingo, tendo que definir, somente, sua posição de desfile.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

IVO MEIRELLES VAI RESGATAR A MANGUEIRA DE RESISTÊNCIA


Mangueira


O presidente da Estação Primeira de Mangueira, Ivo Meirelles, disse esta semana que, neste próximo triênio, vai lutar para resgatar a "Mangueira do passado" e vai tentar guardar ao máximo os detalhes do próximo desfile, para causar o maior impacto possível ao público e aos jurados.

"Sérgio Cabral disse, em um depoimento, que essa é a Mangueira que ele tinha como referência, que cultuava as coisas do Carnaval, o Rio de Janeiro, a cultura. Eu, nestes três anos, quero fazer dos enredos o que era a Mangueira no passado, a Mangueira de resistência. A gente sofre por fazer um Carnaval sem patrocínio, mas nós temos a verdade e isso ninguém tira", disse.

Ivo citou como exemplo a vitória da Unidos da Tijuca, em 2010, com o enredo sobre o segredo. A escola guardou os aspectos que seriam apresentados no desfile e causou um enorme impacto em todos que assistiram sua passagem pela avenida. Por esse motivo, o presidente da verde e rosa disse que vai procurar "não revelar os detalhes" do que será levado para a Sapucaí em 2012.

Ivo critica vitória pela 'beleza'

O presidente da Mangueira afirmou que nenhuma escola sai campeã do Carnaval "só por fantasia e alegoria" e criticou aqueles que não entendem da festa e dizem que um agremiação ou outra merece ganhar o título por estar "bonita".

"A plástica exigida é balela. São dois quesitos que tem a ver com plástica e outros oito que não tem nada a ver com plasticidade. Então, quem acha que o Carnaval se ganha com fantasia e alegoria bonita, está fazendo do Carnaval uma bosta. As pessoas que não entendem do Carnaval dizem que a escola tem que ganhar por estar linda, mas a beleza passa pela bateria e por outros setores, não só pela fantasia e alegoria. Isso tem que acabar. E a Mangueira veio para combater isso", desabafou Ivo.
Ivo Meirelles




O QUE EU PENSO....

A Mangueira é de fato uma escola de samba com particularidades que outras escolas não possuem, quer seja por sua história, quer seja por sua comunidade, ou mesmo por seu futuro no samba, e a lógica do presidente é a coerência que faltou em outras administrações que a Velha Manga teve, o orgulho de ser mangueirense traz a tona assuntos de interesse do carnaval do Brasil, e a verde e rosa tem que ter (por sua história) compromisso com tudo isso.

Um enredo sem patrocínio, mas muito brasileiro e com a cara da Mangueira de fato traz a enorme sensação de que a escola está, apesar dos problemas financeiros e do polêmico, mas apaixonado presidente, no caminho certo.

O carnaval não é apenas uma disputa pelo título, embora vamos sempre lutar por ele, mas é sobretudo uma expressão de cultura e muito amor pelo pavilhão que defendemos.

Valeu Ivo Meirelles!

Avante Mangueira!

Axé!


RAYMONDH JÚNIOR
twitter - raymondhjunior

quarta-feira, 15 de junho de 2011

RICHAHS É A VOZ DO IMPÉRIO SERRANO EM 2012

Richahs

O Império Serrano confirmou mais um reforço para o carnaval de 2012. Richahs é o novo intérprete da escola da Serrinha.

O presidente Mestre Átila confirmou a informação destacando que diversos setores da escola pediram a contratação. "A bateria pediu, a Velha Guarda pediu, a Harmonia pediu", disse o presidente, que ainda completou afirmando que o Império é  "forte e unido" e vai fazer um ótimo desfile.

"Richahs é do Império", vibrou o presidente.

Richahs puxou o samba da Mocidade no último Carnaval e é considerado o Pavarotti do samba. O intérprete também já mostrou a potência de sua voz na Portela, São Clemente, União da Ilha, Mangueira, União de Jacarepaguá, Unidos da Ponte, Rocinha, Cubango, Arrastão de Cascadura, Estácio de Sá, Salgueiro e pela paulista Leandro de Itaquera.

Em 1993, Richahs já havia passado pelo Império, quando gravou o samba-enredo da escola para o CD oficial das escolas de samba, mas não desfilou por conta de desentendimentos com a direção.

A escola da Serrinha vai levar para a avenida a história da Dama do Samba, Dona Ivone Lara.

As últimas aparições num microfone oficial de escola de samba  não foram muito felizes para Richahs, quer seja pela Mangueira em 2010, onde Zé Paulo e Luizito o deixaram apagado, e as poucas vezes que pudemos ouvi-lo era numa desafinação impressionante, quer seja pela atuação na Mocidade em 2011, que desestabilizou o carro de som e foi completamente desencontrado com o companheiro de voz Nêgo, me faz temer pela apresentação do Império. Seja o que Deus quiser!

Axé!

RAYMONDH JÚNIOR
twitter - raymondhjunior

terça-feira, 14 de junho de 2011

SINOPSE DO SALGUEIRO

Salgueiro 2012
SALGUEIRO 2012



(Cheio de poesia, imaginação e encantamento) apresenta:

Cordel Branco e Encarnado

Minha “fia”, meu senhor
Deixa eu me apresentar
Sou poeta e meu valor
Vai na avenida passar
Basta imaginação
Um “cadim” de inspiração
Que eu começo a versar

Vou cantar a minha arte
Que nasceu bem lá distante
Num lugar que hoje é parte
Da nossa origem errante
Vim das bandas da Europa
Nas feiras, a boa trova
Era demais importante!

Foi assim que o mar cruzei
Na barca da encantaria
Chegou por aqui um Rei
Com bravura e poesia
Carlos Magno o os doze pares
Desfilando pelos mares
Da mais real fidalguia

E veio toda a nobreza
Que um dia eu imaginei
Rainha, duque, princesa
E até quem eu não chamei:
Um medonho de um dragão
Irreal assombração
Dessa corte que eu sonhei

Também tem causo famoso
Que nasceu lá no Oriente
De um tal misterioso
Pavão alado imponente
Que cruza o céu de relance
Dois jovens, e um só romance
Vencendo o Conde inclemente

Todas essas histórias
Renasceram no sertão
Onde vive na memória
O eterno Lampião
E não houve um brasileiro
Que de Antônio Conselheiro
Não tivesse informação

Pra viajar no meu verso
É preciso ter “corage”
Vai que um bicho perverso
Surge que nem “visage”?
Nas matas sertão afora
Lobisomem, caipora
Que medo dessas “image”!!

Pra findar esse rebuliço
Rezar é a solução!
Valei-me meu “padim” Ciço!
Vá de retro, tentação!
Nossa Senhora eu não quero
(Tô sendo muito sincero)
Cair nas garras do cão!

E não é que meu santo é forte?
Cheguei ao céu divinal
É tamanha a minha sorte
A minha vitória afinal
É cantar com alegria
Fazer verso todo dia
Na terra do carnaval

Ao ver chegar a tal hora
Da minha “alegre” partida
Saudade, palavra agora
Tem posição garantida
Mas não se avexe meu irmão
Que hoje a coroação
Acontece é na avenida

Pois eles hão de herdar
Todo esse sertão sonhado
Monarcas que vão reinar
Na corte do Sol dourado
Poetas de tradição
Recebam de coração
Um cordel Branco e Encarnado

E agora eu vou sem medo
Fazer festa “de repente”
Vai nascer um samba-enredo s
Pra animar toda a gente
Afinal, não sou melhor
Muito menos sou pior
Só um poeta diferente!

Renato Lage, Márcia Lage, Departamento Cultural
Renato Lage e Márcia Lávia

segunda-feira, 13 de junho de 2011

SINOPSE DA ACADÊMICOS DA ROCINHA

Confira o enredo da Rocinha para o próximo Carnaval


Foto: Divulgação
Rocinha 2012

A Acadêmicos da Rocinha divulgou, em maio, a sinopse do enredo para o próximo Carnaval. "Vou colocar teu nome na praça" é o título do enredo da escola para 2012, de autoria do carnavalesco Luiz Carlos Bruno.

Confira a sinopse:

Hoje, eu um pombo, tão difamado na atualidade, porém como assíduo frequentador dos céus urbanos, peço licença para narrar a história do surgimento das praças e o quanto elas influenciaram o desenvolvimento social do Homem.

Em um voo milenar meus ancestrais gregos viram surgir a Ágora ateniense, amplo espaço aberto cercado de prédios públicos e mercados onde palpitava a vida política, social e econômica da cidade. Ornada com belos pórticos de finas colunatas onde homens de negócios discutiam seus interesses e todas as classes podiam interagir. Era lá que os políticos debatiam com o povo futuras decisões. Com a abertura do mercado, comerciantes e artífices se punham a negociar uma infinidade de produtos. Assim nascia para o mundo a praça, seu exemplo de convívio e democracia.

Já em terras brasileiras gerações passadas de minha família vinda da Europa, contaram ter visto do alto de um campanário, o centro nervoso da sociedade em uma cidade pequena do interior onde tudo acontecia. De um encontro amoroso a festividades religiosas de onde brotava um cheiro bom dos quitutes lá vendidos por senhoras religiosas. Os discursos políticos deixando crédulos esperançosos de mudanças em seus votos. Os acordes da banda no coreto convidavam todos a dançar. Ao cair da noite as luzes contornando a linda igreja, enfeitavam o passeio em família esperando o encantamento de uma sessão de cinema convidando todos a sonhar na praça da matriz onde o tempo teima em não passar.

Hoje me ponho a voar para ver o quanto estas Ágoras modernas têm a oferecer. Entre um amontoado de arranha-céus vejo espremido um pequeno Oasis na cidade grande. Pouso em um busto de ferro como tantos que homenageiam um herói ou personagem histórico. Vejo crianças brincando em lúdicas trapizongas de ferro, velhinhos que preenchem o tempo ganho pela aposentadoria jogando nos seus tabuleiros; enquanto outros descansam e leem seus jornais sentados nos bancos à sombra de uma árvore. Vejo nesta praça de bairro um refúgio, onde convivem em harmonia, esquecendo todas as diferenças, moradores de apertados "pombais" de concreto, isolados nas grandes cidades.

Em uma repentina revoada sou levado à periferia desta cidade. Lá pousando em uma trave de gol com minhas penas brancas lembro que sou um símbolo de paz, sentimento tão necessário para muitas comunidades que colocadas à margem da sociedade enfrentam todo o tipo de sorte. Assim em um terreno abandonado surge à esperança, uma praça de esportes. São quadras, pistas e aparelhos de ginástica que mudam a perspectiva de jovens que alcançam novos ideais e idosos ganham melhor qualidade de vida com atividade física. A praça mostra o poder que possui de reintegrar o cidadão.

Novamente me ponho a voar para longe chegando ao centro do poder político, Brasília! Plainando entre modernos prédios avisto uma multidão que em marcha bradam palavras de ordem empunhando bandeiras, ferramentas e faixas que expressam seus anseios. Essa procissão segue a caminho de um belo monumento erguido em nome dos trabalhadores, construtores desta cidade. E na Praça dos Três Poderes, lembro-me da Ágora grega e quanto ela se adaptou em terras brasileiras, sem perder a essência da democracia.

Pois é, depois de tanto voar e narrar essa história junto a esta comunidade, eu um simples pombo, espero ao fim deste desfile, na Ágora maior do samba a Apoteose, poder botar o nome Rocinha na praça, como a campeã do carnaval de 2012.

domingo, 12 de junho de 2011

SALGUEIRO TEM ENREDO DEFINIDO PARA 2012

O Salgueiro vai levar para a avenida em 2012 a literatura de cordel.

O título escolhido para o enredo foi: "Cordel branco e encarnado".

Salgueiro 2012
Os compositores receberão a sinopse no dia 14 de junho, a partir de 20h, na quadra da vermelho e branco.

SINOPSE DA UNIÃO DA ILHA DO GOVERNADOR

A União da Ilha lançou, em clima de muita festa, a sinopse do enredo para 2012 e afastou a tristeza das consequências do incêndio no barracão, no último Carnaval.

"De Londres ao Rio: era uma vez... uma Ilha" foi o título escolhido para o enredo, de autoria do carnavalesco Alex de Souza.
União da Ilha 2012
Argumento
"Once upon a time", ou "ERA UMA VEZ"... é a forma mais popular, desde 1380, de iniciar histórias em língua inglesa. E se tornou convencional na abertura de narrativas a partir de 1600, da mesma forma que terminam com um: "E VIVERAM FELIZES PARA SEMPRE". Prevalecem em contos de fadas para crianças e na tradição oral de recontar mitos, fábulas e folclore.

A cada quatro anos o mundo se une para o grande momento do esporte e para celebrar a paz. A cidade anfitriã faz em sua abertura uma representação artística de sua história e sua cultura. No ano de 2012, Londres será a sede desse evento.

A União da Ilha fará uma versão bem carioca e carnavalesca dessa festa. E também uma contagem regressiva para os jogos olímpicos do Rio de Janeiro.

Em vermelho, branco e azul, as mesmas cores do Reino Unido, a Ilha falará da Ilha que sambará ao batuque da Ilha. Saint George, padroeiro da Inglaterra, estará ao lado de São Sebastião do Rio de Janeiro, ambos padroeiros da nossa escola.

O fogo que atravessou nosso último carnaval nos uniu, assim como o fogo olímpico une as nações. Superamos as dificuldades, assim como cada atleta supera seus limites para atingir o pódio.
Era uma vez uma Ilha feita de alegria e muito samba que vai contar histórias de outra Ilha. Incendiando a avenida misturando irreverência e tradição, vamos acender a pira com o fogo da paixão e transformação. Foi dada a partida! A festa vai começar!!!


Sinopse
... Onde vivia um povo valente e guerreiro. Um dia, apesar de ser defendida com bravura, um grande império a conquistou. O imperador invasor fundou uma cidade que cresceria até se tornar uma das mais importantes do mundo.

Capital de um país e depois de um reino que se tornaria unido. Sua história é feita de reis e rainhas, príncipes e princesas, e de heróis errantes.

Nobres cavaleiros cruzaram terras para defender a sua fé. Vestidos e armados com as armas de um santo guerreiro e com sua cruz estampada na bandeira, seguiram em sua saga de bravos, pondo sob as patas de seus fiéis ginetes o mais temível dragão.(1)

Nesta terra, a fantasia e a realidade se confundem. Em sua tradição, narram contos onde espadas são encantadas e cálices são sagrados. Histórias de távolas redondas, fiéis escudeiros e magos a serviço de um só Rei.

Nos palcos encenam histórias de amores impossíveis, comédias, dramas e tragédias. Onde nesta noite de verão, há somente uma questão: ser ou não ser? Nas ambições por um trono, até as "rosas" guerreiam. (2)

Em uma era dourada, conquistaram os mares e a Coroa aliou-se a corsários e piratas em busca de inesgotáveis tesouros. Dominaram por séculos boa parte do planeta.

Lançaram, sob a ótica da ciência, um novo olhar sobre fatos naturais e a todo vapor se tornaram condutores revolucionários, pondo o progresso nos trilhos e no campo do pensamento. Publicaram temas que nos deram arrepios e nos levaram a um delirante país das maravilhas.

Seus artistas brilharam nas telas e sob as luzes da ribalta. Com suingue(3) encurtaram medidas, mudaram comportamentos e deram uma chance à paz e ao amor.

Inventaram com a bola nos pés a nossa maior paixão.

Hoje convidam a todos para um encontro onde pessoas do mundo inteiro mostram o que é superação, exaltando a cultura de paz. Saudemos aqueles que ultrapassam seus limites e dentre esses os nossos patrícios que sempre nos enchem de orgulho.
Era uma vez... A nossa Ilha, onde também vive um povo valente e guerreiro, que defende com bravura sua bandeira. Que todo ano vem para conquistar o coração de um lugar que cresceu até se tornar um dos mais importantes da terra e que em breve será o próximo anfitrião. A Ilha é a pista para esse sonho aterrissar e a porta de entrada das nossas vitórias.

Nessa grande paródia carnavalesca, vamos adiantar os ponteiros do relógio e imaginar que a festa é aqui e agora. Acender a chama da paixão, incendiar de alegria toda a cidade e renovar as esperanças.

Contos de fadas são como o carnaval, e sempre nos levam ao imaginário, sendo assim, esta história não poderia terminar diferente: "E viveremos felizes para sempre".


Alex de Souza
Carnavalesco


(1) Referência á oração de São Jorge, Padroeiro da Inglaterra.
(2) Citações ás peças de Willian Shakespeare. O maior dramaturgo de língua inglesa.
(3) Swinging London foi uma expressão utilizada nos anos 60 para descrever a vanguarda londrina. Swinging representaria algo com arrojo, moderno, etc.
 
 

sábado, 11 de junho de 2011

ALCIONE, A MANGUEIRENSE!


Alcione e a Mangueira

Alcione Dias Nazareth, a Marrom, de São Luís do Maranhão para o mundo! Essa mangueirense apaixonada se viu no ano de  2011 na quase obrigação de desfilar pela Beija Flor de Nilópolis, que homenageou o Rei Roberto Carlos, porque a Marrom já gravou algumas músicas de RC e na justa homenagem da Beija ao Rei, havia uma alegoria de mulheres que cantaram as belas obras do Rei; era simpático e carnavalesco que Alcione esteve no desfile, porque na verdade o que esta mulher faz não é uma disputa a todo preço por títulos para  a Estação Primeira de Mangueira, sua escola de coração, e sim a festa do povo, chamada carnaval, mas é claro que ela um dia antes brilhou na Sapucaí com a Mangueira.

Alcione se identificou com a Mangueira desde que veio morar no Rio de Janeiro, e por esta escola já demonstrou todo seu amor, com músicas e homenagens que estão guardadas na memória do samba e do carnaval carioca, fundadora, incentivadora e principal colaboradora da Mangueira do Amanhã (escola mirim da Estação Primeira de Mangueira), esta ilustre mangueirense jamais poderia ser confundida como torcedora de outra agremiação, ela é a cara da Mangueira, mesmo estando na sinopse e possivelmente no desfile da Beija Flor em 2012 mais uma vez, porque no próximo ano a escola de Nilópolis vai homenagear sua terra natal, o estado do Maranhão. Tem gente que anda por Nilópolis achando que Alcione poderia estar encantada pela Beija, na verdade o respeito pelo mundo do samba sempre foi marca de Alcione, mas daí a supor que o seu coração não seria verde e rosa, seria no mínimo um absurdo!
Alcione e Hebe no desfile da Beija Flor 2011

Alcione e Jamelão
Ela é dessas mangueirenses que desfila, ensaia, canta, puxa samba enredo, frequenta o Palácio do Samba, e veste a camisa orgulho da nação verde e rosa. Pessoalmente, eu jamais esquecerei o show da virada de 2010 nas areias  de Copacabana, quando com minha camisa da Mangueira cheguei bem perto do palco e estendi uma bandeira da Estação Primeira de Mangueira, e a Marrom olhou para mim e fez um gesto simpático de reverência ao pavilhão, no final ainda exclamou: "Salve, a Estação Primeira!" Para o mangueirense isso é o que nos faz seguir em frente, orgulhosos de ter em suas galerias essa grande mulher, artista, mangueirense de verde e rosa.

E nós seguimos em frente, juntos, torcendo não apenas pelo sucesso desta maravilhosa cantora brasileira, mas pela fraternidade das escolas de samba, da harmonia, que faz do carnaval uma grande família, que uma vez por ano disputa um título, e não uma guerra. Um desfile de paz, amor, que revela a cultura desse país, no maior espetáculo do planeta: o carnaval da Mangueira! Ops... é claro com as co-irmães (risos).
Alcione

Alcione e Rosemeri

Alcione no desfile da Mangueira 2011

Alcione

Alcione e Ivo Meirelles - Mangueira 2011

Alcione na Mangueira 2010

Alcione e Elimar Santos
A despedida à Jamelão
Alcione



SALVE A ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA!


Axé!

RAYMONDH JÚNIOR
twitter - raymondhjunior